Lei da Entrega Agendada

Quando um cliente efetua uma compra pela Internet, uma das questões que logo vem a cabeça é a entrega. A marioria das pessoas hoje trabalha durante o dia todo e não pode ficar dias ou semanas aguardando em casa. A maioria das lojas de e-commerce, no entanto, costuma apenas informar que a entrega será realizado em horário comercial, o que frustrar a maioria dos consumidores. 
Com rotinas cada vez mais atribuladas, muitos não param em casa. É estudo, trabalho e, até mesmo donas de casa e aposentados também têm suas tarefas fora: médico, supermercado, banco, padaria, ou buscar criança na escola, por exemplo. Portanto, às vezes, uma simples entrega pode se transformar em um grande problema.

 

As leis da entrega

Diante do transtorno que se tornou a entrega, foram criadas leis em alguns estados para tentar resolver esse problema. No Rio de Janeiro, por exemplo, a Lei Estadual 3.735 existe desde 2001 e atualizada para a lei 6696/2014. Nos últimos 15 anos, as empresas já deveriam dar ao cliente a opção de fixar turnos para a entrega de produtos ou realização de um serviços. 
Isso significa que, em vez de, simplesmente, informar que a entrega será feito em horário comercial, seria necessário dizer se isso ocorreria no período da manhã (entre 7h e meio-dia), à tarde (a partir do meio-dia até as 18h) ou pela noite (de 18h a 23h).

Outra norma parecida funciona em São Paulo há mais de seis anos. A ideia da  Lei 13.747/09  foi atualizada 14.951/2013, que vale para todas as cidades paulistas, é que todas as lojas de e-commerce ou lojas fisicas dê ao cliente a possibilidade de agendar a entrega de uma compra para o dia e horário que desejar. 
Além disso, a tarifa cobrada deve ser a mesma dos demais tipos de frete. Por exemplo, se for recorrente da empresa efetuar esse serviço gratuitamente, a entrega agendada também será seguida dessa maneira.
Outra questão é que os Correios não estão submetidos às leis da entrega, o que deixa o cliente sem o suposto beneficio.

 

A lei não resolveu o problema

  • O problema da empresa 


Por várias razões, As empresas não consegue cumprir os prazos na maioria dos casos: problemas com rodízio de caminhões nas ruas, engarrafamentos, indisponibilidade da mercadoria, entraves na liberação da mercadoria nos postos de fiscalização, alteração de uma rota mais viável para outra para tentar cumprir a lei da entrega com hora marcada diminui a capacidade de entrega do caminhão, gerando mais custos que será repassado para todos os cliente e até aumentando ainda mais os prazos de entrega.

  • O problema do cliente

As leis obrigam as empresas a dar a opção de o cliente agendar uma data, turno e em alguns estados até hora para a entrega, mas e se o cliente tiver algum imprevisto e não puder receber a encomenda no dia marcado? Se o cliente não souber ao certo se vai está disponível para receber a encomenda com uns 15 dias de antecedência?

De alguma forma, essa legislação vai aumentar os custos do frete pelas questões citadas acima. As empresas não conseguem cumprir como determina a lei. Os órgãos de fiscalização como o Procon, por sua vez, multam as empresas, o que gera mais custos e que será repassado inevitavelmente para o consumidor.

  • O problema com o meio ambiente

Sim, o meio ambiente também é prejudicado com essa questão, devido à poluição dos caminhões de entrega, que precisam rodar mais pela cidade para fazer as entregas. Com isso, obviamente emitem mais poluentes.

  • O problema do trânsito

Mais caminhão nas ruas é mais engarrafamento, o que prejudica a todos.

 

Qual a solução?

Uso da tecnologia. Esse recurso pode melhorar todos estes problemas, com custos menores para todos. Vamos supor que uma dona de casa compre uma máquina de lavar roupa, em uma loja que tenha um aplicativo. Pela celular, ela receberia todas as informações de status do pedido e entrega. Seria um tipo de autoatendimento pensado para resolver todas as questões de relacionamento com o cliente.

A empresa enviaria uma mensagem dois dias antes da entrega, informando a previsão de entrega. Por esse meio, também solicita que o cliente confirme se pode receber a encomenda. O cliente poderia já oferecer uma resposta sem precisar entrar em contato com um atendente da empresa. 

No dia previsto, outra mensagem é enviada ao comprador, informando um horário aproximado da entrega. A partir daí, o cliente poderia acompanhar em tempo real o trajeto do veículo. Daria até para entrar em contato com o motorista direto pelo aplicativo. Caso a cliente tenha um imprevisto e não possa mais receber naquele dia, ela informa pelo app, "autosserviço".

Neste caso, o motorista traçaria uma nova rota economizando combustível e tempo. E, ao mesmo tempo, Agiliza as próximas entregas.

Viu como é simples resolver questões complexas com tecnologia modernas? Essa é uma solução do koiber que pode ser adotada por todas as empresas independente do porte.